Artigos

Fábio Koff: os maiores títulos do Grêmio e um legado valioso

A história do Grêmio foi construída por muita gente, a começar por aquela turma que em 1903 se uniu, em torno de uma bola (trazida pelo paulista Cândido Dias da Silva), para fundar uma agremiação destinada unicamente à prática do futebol, esporte que engatinhava no país.

Aqueles 32 jovens não tinham nem ideia de que estavam criando um clube que se tornaria o maior do Estado, um dos maiores do país, e que alcançaria reconhecimento mundial, seguido por milhões de aficionados em todo planeta.

O Grêmio só atingiu o atual patamar, que tanto orgulha seus torcedores, porque muita gente trabalhou e a ele se dedicou, alguns com mais competência e criatividade, mas todos com muita vontade e paixão.

Entre os que atingiram maior êxito nessa empreitada de tornar o clube cada vez mais forte, mais sólido e vitorioso estão dois nomes que a torcida mais festeja e, com total justiça, idolatra: Hélio Dourado e Fábio Koff.

Dourado nos deixou no ano passado, aos 87 anos, mesma idade que Fábio Koff completaria no domingo.

Dois dirigentes que contribuíram fortemente para a grandeza do Grêmio. Dourado completou o Olímpico, estádio erguido e inaugurado, em 1954, por outro nome imortal: Saturnino Vanzelotti. Em 1977, com o título do campeonato gaúcho, lavou a alma dos gremistas, e começou a abrir caminho para grandes títulos, como o Brasileiro de 1981.

No ano seguinte, já sob o comando de Fábio Koff, o Grêmio foi vice brasileiro. Em 1983, o título da Libertadores e o título Mundial. Era o Grêmio daqueles 32 rapazes e de tantos outros que vieram atingindo o ápice, o topo do mundo. Era o Grêmio tingindo o planeta de azul.

O grande comandante: Fábio Koff.

Em 1993, Koff voltou para pegar um clube em dificuldade, com as finanças abaladas, e levá-lo de novo a conquistas que tanto envaidecem a nação tricolor, como o bi da Libertadores, com o Mundial escapando no detalhe.

Depois de longo e exitoso trabalho à frente do Clube dos 13, o dirigente multicampeão aceitou outro desafio: assumir a presidência do Grêmio, gestão 2013/2014.

Seu maior título nesse curto período foi ajustar o polêmico contrato com a empresa construtora da Arena, tornando-o mais favorável aos interesses do clube. Sem isso, muito provavelmente o Grêmio não estaria hoje com as finanças sob controle, comemorando vitórias e orgulhando sua torcida em todos os cantos do mundo.

Por fim, um legado inestimável de Koff: a indicação de Romildo Bolzan Jr. como seu sucessor. Bolzan venceu a eleição em 2014 e assumiu o clube em 2015, iniciando uma gestão triunfante em todos os sentidos.

Foi outro acerto de Fábio Koff, que hoje, dia 10 de maio, nos deixa para ser eternizado na história.

Multicampeão recebe presidente Romildo Bolzan Jr. no “Tá na Área”

Um debate franco sobre o Grêmio. Assim os participantes de mais uma edição do projeto “Tá na Área” do movimento Grêmio Multicampeão definem a conversa desta segunda (2) com o presidente Romildo Bolzan Jr.

Ao longo da noite, o presidente Romildo debateu com os integrantes do Multicampeão questões relacionadas à gestão do Tricolor e à política do futebol gremista. Também participou do evento Marcão Bobsin, chefe de gabinete do Tricolor e importante agente político agregador do clube.

O Multicampeão acredita que o sucesso de uma instituição vitoriosa é a continuidade com qualidade e excelência dentro e fora de campo. Para ser um agente ativo nesta construção por um Grêmio mais forte, o Multicampeão promove o “Tá na Área”, um projeto que visa ampliar o debate sobre o passado, o presente e o futuro do Grêmio com personagens marcantes da história do clube.

Na primeira edição, o evento contou com as participações do ex-presidente Cacalo e Mauro Knijinik, ex-presidente do Conselho Deliberativo do clube.

O Multicampeao reafirma com isso que fez, faz e fará de tudo para ajudar a tornar o Grêmio cada vez maior.

Sant’Ana, adeus a um símbolo gremista

Paulo Sant’Ana surgiu de repente, como um meteoro. E se foi lentamente, como se fossem muitas mortes, uma para cada uma de suas personalidades.

O Grêmio perde um de seus mais fervorosos torcedores. O Movimento Grêmio Multicampeão lamenta essa perda inestimável.

Desde seu começo lá pelos primeiros anos da década de 70 como participante alucinado de programas esportivos na televisão – sempre com o manto tricolor – e, depois, no rádio, no longevo programa Sala de Redação, defendendo seu Grêmio com ardor e paixão, como fez ao longo de toda sua trajetória nos meios de comunicação.

Sant’Ana revelou-se um grande comunicador e, rapidamente, conquistou admiradores e, claro, alguns desafetos, porque não poupava adjetivos para o bem ou para o mal.

Foi um guerreiro isolado, qual um Don Quixote, combatendo aqueles que de uma forma ou de outra, na visão dele, queriam prejudicar o clube do seu coração. São antológicos, por exemplo, seus artigos contra a arbitragem gaúcha.

Quando ganhou uma coluna nas páginas de esporte do jornal Zero Hora, Sant’Ana mostrou que chegava para ficar. Causou alvoroço quando assinou uma coluna, bombástica para a época, revelando quem eram os gremistas e colorados da imprensa gaúcha.

A partir daí, alçou um voo que transcendeu a editoria de esportes e pousou na penúltima página, onde passou a escrever sobre os assuntos mais variados, sempre com talento e perspicácia. Não raro, retomava o futebol como tema, buscando na maioria das vezes contribuir com o Grêmio, ao seu jeito, franco e apaixonado.

O gremista Paulo San’Ana tornou-se o colunista mais conceituado do Estado. Sempre polêmico e por vezes poético. Duro e sensível. Implacável contra desmandos de qualquer ordem.  Muitos leitores adquiriram o hábito de ler o jornal de trás para frente.

Só isso já prova o quanto Paulo Sant’Ana foi marcante em todos esses anos. Exagerado, por vezes, mas sempre autêntico na crítica ou no elogio.

Perdemos um grande companheiro, um símbolo tricolor. Mas temos convicção de que lá de cima, ao lado de outros grandes gremistas, como Lupicínio Rodrigues, ele estará sempre com o Grêmio onde o Grêmio estiver!

Fique em paz, Sant’Ana. São os votos do Multicampeão!

Carta ao torcedor gremista: biometria

Torcedor Gremista!
Discriminação  significa distinguir ou diferenciar. A discriminação acontece quando há tratamento desigual perante uma característica específica e que não tem justificativa racional que não seja segregar determinado grupo de pessoas.
O Grêmio Multicampeão é um movimento político do Clube que preza pela igualdade, não apenas nas questões do Futebol, mas em relação à vida como um todo.
A nossa Constituição, em seu art. 5, caput, diz: “Todos são iguais perante a lei, sem distinção de qualquer natureza, garantindo-se aos brasileiros e aos estrangeiros residentes no País a inviolabilidade do direito à vida, à liberdade, à igualdade, à segurança e à propriedade..”
A respeito da exigência de Identificação biométrica na Arquibancada Norte da Arena do Grêmio, não podemos deixar de considerar que o tratamento DIFERENTE dos demais setores do estádio, leva, sim, à conclusão de que há discriminação nesta matéria. Nenhum debate houve nas instâncias deliberativas do Clube a este respeito.
Existem princípios e valores que deveriam ser inegociáveis. A igualdade entre os torcedores do Grêmio precisa ser um desses princípios, um desses valores. Logo, não conseguimos imaginar quais contrapartidas são suficientes para justificar essa quebra da isonomia. É, no mínimo, estranho que justo no setor popular do estádio, exija-se esse discrímen. É, para dizer o menos,  a institucionalização dos preconceitos que envolvem as torcidas organizadas do Clube, aceitar tal situação. Faz parte do problema e não da sua solução acatar os preconceitos contra as organizadas do Grêmio.
Por outro lado, a justificativa para tal discriminação é, em nosso entender, simplesmente falsa. Ou insuficiente para justificar o tratamento discriminatório. Ocorre que a biometria não facilitará a Identificação de eventuais torcedores “baderneiros” dado que o Centro de Operações da Arena possui centenas de câmeras e está plenamente apto para tal tarefa sem qualquer biometria em
Setor específico do estádio. Ademais, ficamos a pensar: é só na Arquibancada Norte que existe este risco?
Por fim, em não existindo esta exigência em todos os estádios do Rio Grande do Sul, é evidente o intuito de diferenciar uma parte específica da torcida. Temos em torno de 5500 lugares na Arquibancada Norte. Apenas metade são sócios com acesso garantido. Os demais são para sócios torcedores ou vendidos na bilheteria ao público em geral. Perto de 2800 torcedores, portanto, estariam submetidos ao tratamento desigual.
O Grêmio Multicampeão é contra o apartheid dentro da Arena. Entende injustificável que apenas um grupo de cerca de 2800 torcedores seja marcado como “baderneiro”. Marcado pela infâmia preconceituosa.
Houve um período na História que um determinado grupo de pessoas era marcado na pele para fixar sua diferença dos demais. As marcas são diferentes, mas a origem, desconfiamos, é a mesma.
Uma atitude discriminatória resulta na destruição ou comprometimento dos direitos fundamentais do ser humano. E, por mais que alguns não queiram, os torcedores populares da Arquibancada Norte têm, sim, a mesma dignidade dos demais e não precisam torcer numa espécie de gueto em pleno século XXI.

Multicampeão reúne campeões da América e do Mundo em churrasco comemorativo

Na tarde deste sábado (30), o Movimento Grêmio Multicampeão promoveu um churrasco comemorativo aos 33 anos da primeira conquista da Libertadores da América na sede do grupo em frente à Arena. Dezenas de gremistas participaram do evento que contou com a participação personagens históricos do clube.

Participaram do evento o Capitão Hugo de León, os zagueiros Jorge Baidek e Luís Eduardo, o ex-volante China e o técnico Valdir Espinosa.

 

Grêmio registra superávit no primeiro semestre de 2016

Na noite desta quinta-feira, no Auditório da Arena, o Conselho Deliberativo do Grêmio Foot-Ball Porto Alegrense se reuniu em sessão ordinária para examinar a apresentação dos demonstrativos contábeis e financeiros do primeiro semestre de 2016. A sessão foi aberta pelos presidentes Milton Camargo, do Conselho Deliberativo, e Romildo Bolzan, do Conselho de Administração. Também participaram da reunião desta noite os vice-presidentes do CA, Adalberto Preis, Antônio Dutra Jr, Marcos Herrmann, Odorico Roman e Sergei Costa; o chefe de gabinete, Marco Bobsin; e os secretários, Paulo Luz e Tiago Brum.
Após apresentação dos demonstrativos contábeis e financeiros por parte do CEO do Clube, Gustavo Zanchi, os conselheiros tomaram conhecimento que o Lucro Líquido da instituição no primeiro semestre deste ano foi de R$ 68,276 milhões. Alguns dados positivos chamaram a atenção, como a Receita Bruta de R$ 205 milhões, um aumento de 116% com relação ao primeiro semestre de 2015, influenciado pelo novo contrato com a Rede Globo de 2019 a 2024, que rendeu ao Clube luvas e bônus no valor total de R$ 100 milhões. Ainda assim, sem o novo contrato, o aumento foi de 8%, equivalente a R$ 8 milhões, em relação ao mesmo período do ano passado.

Além disso, houve uma redução de 11,5% na despesa total. O que equivale a R$ 16 milhões em relação ao primeiro semestre de 2015. Outro dado relevante foi o número do EBITDA de R$ 105,592 milhões, que se mostra muito superior aos números do ano passado, que eram de R$ 2,023 milhões. O indicador financeiro representa quanto a instituição gerou de recursos por meio de suas atividades operacionais, sem contar impostos e outros efeitos financeiros. Para finalizar, falando sobre o endividamento, o Clube efetuou o pagamento de aproximadamente R$ 40 milhões de passivos.
Os números apresentados deverão ser disponibilizados no Portal de Governança a partir desta sexta-feira.

Multicampeão reúne campeões da Libertadores em churrasco comemorativo

No próximo sábado (30), a partir das 11 horas,  o Movimento Grêmio Multicampeão promove um reencontro de atletas campeões da Libertadores de 1983 com a torcida gremista.

Na sede do Multicampeão, em frente à Arena, estarão figuras emblemáticas da campanha do primeiro título da América. Já confirmaram presença Hugo de León, Mazarópi, China e o técnico Valdir Espinosa.

A Sede do Mlticampeão fica na rua Luis Carlos Pinheiro Cabral, 370, em frente ao Estádio.

Campeão da América em 1983, zagueiro Leandro reforça o Multicampeão

Líder dentro e fora de campo, o zagueiro Leandro Wendling é o novo reforço do Grêmio Multicampeão. Natural de dois irmãos, o zagueiro teve papel importante no grupo que desbravou a América há 33 anos.

O zagueiro Leandro José Wendling, ou simplesmente Leandro, fez a sua estreia com destaque pelo Tricolor em um clássico Gre-Nal em Agosto de 1982. O Clássico 260 terminou com vitória Tricolor por 2 a 0 com gols de Edmar e Tarciso, servindo como afirmação do zagueiro no elenco gremista pela sua firmeza em campo.

No ano seguinte, Leandro foi utilizado em diversas partidas da Libertadores, seja como titular suprindo ausências de Baidek ou De León ou ao longo das partidas. Considerado um dos líderes no grupo gremista, Leandro exerceu papel fundamental na conquista gremista.

O jogador reforça a seleção de campeões que apoiam o movimento Grêmio Multicampeão. Juntamente com ele estão ex-atletas destacados na história do clube, tais como o goleiro Mazarópi, os zagueiros Hugo de León, Luiz Eduardo e Adilson Batista.

Ficha técnica:
Leandro José Wendling
Data de Nascimento: 11/03/1961
Natural de Dois irmãos.
Estreia pelo Grêmio – Gauchão 1982 – 3/8/1982 – Internacional 0x2 Grêmio

Capitão Hugo de León reforça o Multicampeão

Se uma imagem vale mais que mil palavras, poucas sintetizam de maneira tão eloquente a bravura e a história vitoriosa do Grêmio como a foto do zagueiro Hugo de Leon erguendo a taça da Libertadores da América, em 1983, com sangue escorrendo pelo seu rosto.

A imagem correu mundo e permanece perene, eternizada no coração de cada gremista, assim como o nome de Hugo Eduardo de León Rodrigues, capitão do primeiro time do Sul do País a conquistar a Libertadores e na sequência o Mundial de Clubes.

O predestinado De León. que é sócio do clube, teve participação decisiva, também, na conquista do Campeonato Brasileiro de 1981, título que elevou o Grêmio a outro patamar no cenário do futebol, apontando que não há limites para este clube.

Poucos jogadores foram tão importantes na história do Grêmio como esse uruguaio de Rivera, que desembarcou no Olímpico em 1980 aos 22 anos, com seu espírito vencedor, para dar alegrias ao torcedor gremista.

É, portanto, com muito orgulho que o Movimento Grêmio Multicampeão recebe o reforço de um dos maiores ídolos do Grêmio, talvez a maior unanimidade entre os gremistas tanto por suas façanhas dentro de campo como por sua conduta correta e digna como cidadão.

O Multicampeão tem, agora, o seu capitão para os novos tempos de conquistas.

Breve biografia de um Multicampeão

O tricampeão mundial de clubes (duas pelo Nacional e uma pelo Grêmio)Hugo Eduardo de León Rodrigues nasceu no dia 27 de fevereiro de 1958, em Rivera.

Começou sua carreira em 1977, no Nacional. Aos 17 anos, era capitão da equipe.

Foi campeão do Mundialito de 1980, em Montevidéu, pela Celeste.

Com o Nacional, foi campeão da Libertadores e do Mundial, em 1980.No mesmo ano, foi contratado pelo Grêmio.

Em 1981 foi campeão brasileiro pelo tricolor.

Em 1983, campeão da Libertadores e do Mundo. É importante frisar que o ferimento que fez escorrer sangue da testa do zagueiro durante a comemoração do título da Libertadores foi causado por um parafuso que havia na parte interna da taça. Independente disso, ninguém duvida que De León, se necessário, daria sangue pelo Grêmio.

Além dos títulos já citados, De León conquistou inúmeros outros, entre eles: campeonato uruguaio com o Nacional em 1977, 1980 e 1992; Libertadores da América com o Nacional em 1980 e 1989; campeão Mundial Interclubes com o Nacional em 1980 e 1988; Recopa Sul-Americana com o Nacional em 1989; campeão argentino com o River Plate em 1989/990.
Como treinador, De León foi campeão uruguaio em 1998, 2000 e 2001.

Nota do Movimento Grêmio Multicampeão

O Movimento Grêmio Multicampeão, nesta hora de ansiedade e expectativa do torcedor do Grêmio, que tem sido um excepcional parceiro do clube e da gestão, manifesta publicamente sua confiança e apoio ao Presidente Romildo Bolzan Júnior, seus Vice-Presidentes e a toda diretoria do Grêmio Foot-Ball Porto Alegrense.

Estamos certos de que enfrentamos um momento de transição e de desafios não só no Clube, mas em todo o futebol brasileiro.

A mudança cultural e de planejamento no futebol exige conhecimento, coragem, responsabilidade, austeridade, ousadia e sensibilidade para implementar e, sempre que necessário, promover os ajustes indispensáveis para que se avance com consistência e segurança.

O Movimento Grêmio Multicampeão e a comunidade Gremista em geral sugeriram para a direção reflexão e mudanças estruturais no futebol e esta já está demonstrando estar atenta e sensível ao debate e às transformações necessárias para as correções de rumo.

Movimento Grêmio Multicampeão

www.gremiomulticampeao.com.br

@GMulticampeao